Mas o fruto do Espírito é amor... – Gálatas 5:22 (NVI)

Leia também:

João 13:34,35; 1 Coríntios 13; 1 João 3:11-24, 4:7-21


Medite:

O mundo fala muito sobre “amor” e, na grande maioria das vezes, se limitam a conceituá-lo como um mero sentimento movido pela paixão ou por prazeres sexuais.

Entretanto o amor listado pelo Apóstolo Paulo não se trata de um mero sentimento ou de uma atração física. O amor aqui é muito mais profundo, é o fundamento e o alicerce da fé cristã, é a própria identificação do discípulo de Cristo. O Mestre declara: “... todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros” (João 13:35).

Este amor é a evidência máxima da salvação dada por Deus, sabemos que vivemos nEle se amamos a nossos irmãos (1 João 3.14).

Fica evidente o contraste apresentado pelo Apóstolo Paulo entre as obras da carne e o Fruto do Espírito quando colocamos o amor como fundamento.

Quem ama não peca contra seu irmão, não traí, não busca seus próprios objetivos em detrimento do outro, mas em tudo nega seus direitos em prol do desenvolvimento e saúde do Corpo de Cristo.

“Como sabemos se uma árvore está vida? Procuramos botões, folhas e, depois fruto. [...] Como sabemos que uma igreja ou um cristão está vivo? Procuramos amor. Onde há amor, há vida [...] quando brigamos e discutimos, dividimos e acusamos uns aos outros, o que isso diz a nosso respeito?” (WRIGHT, 2019).

Somente Deus é capaz de gerar este amor no coração humano, pois Ele é a fonte e o balizador moral do verdadeiro amor. Somente um coração preenchido pelo amor de Deus pode desenvolver as demais virtudes do Fruto do Espírito, pois onde não há amor não há vida, e onde há amor há vida.

E, na medida que desenvolvemos este amor, manifestamos Deus ao mundo, pois Deus é amor. O mundo não é capaz de ver a Deus, no entanto, ele é capaz de ver a mim e a você e, quando veem ao nosso amor, estão vendo o amor de Deus.

Ore Conosco:

Pai, obrigado(a) pelo Teu amor derramado na cruz em meu favor, não permita que meu coração se incline para uma vida pautada pelo egoísmo e pelo ódio, mas ajude-me a amar meu próximo, a negar minha própria vontade em amor e recusar meus direitos por amor aos meus irmãos. Que Teu Nome seja glorificado em minha vida, oro em nome de Jesus, amém.


Referências:

WRIGHT, Christopher. J. H. Aprendendo a viver como Jesus [recurso eletrônico]: um novo olhar sobre o fruto do Espírito. Tradução de Susana Klassen. 1ª. ed. São Paulo: Mundo Cristão, 2019.