"Também os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros" – Salmo 119.24

Enquanto os homens iníquos se assentam e tomam conselhos dos pecadores contra a vida dos servos do Senhor, os peregrinos neste mundo se assentam diante do Mestre e em Seus ensinos se aconselham.

As palavras eternas que ecoam da boca do Senhor encontram no coração do crente um terreno aberto e fértil para instruí-lo, orienta-lo e guia-lo por entre os desertos deste mundo.

Ao se aconselhar com os mandamentos do Senhor o crente demonstra que neste mundo caído não há conselho que seja superior ou digno de atenção, exceto aqueles que provém da eternidade.

Ao acatar os mandamentos do Senhor a vida do crente será, diametralmente, oposta aos costumes da sociedade na qual ele vive, seu porte, sua fala, suas vestes, tudo o que faz, pensa e deseja, condena a vida leviana e depravada de sua geração.

Não porque há em seu coração algum tipo de justiça própria, mas porque a justiça de Cristo passa a habitar nele. Não são seus próprios méritos ou capacidades que lhe fornecem o suporte para condenar o mundo, mas são os méritos de Cristo.

Sua vida não se molda de acordo com o que o mundo determina, estar em dia com as novidades não lhe interessa, para o crente que peregrina em terra hostil se alinhar ao mundo significa abandonar sua jornada.

E tal possibilidade é hedionda ao seu coração. Uma vez que a Palavra penetrou em seu ser nada neste mundo terá mais valor ou lhe proporcionará mais prazer, somente os conselhos eternos alegrarão seu coração e lhe trarão refrigério enquanto caminha para sua eterna pátria.

Deus lhe abençoe.