“Como são doces as tuas palavras; são mais doces que o mel! Tuas ordens me dão discernimento; por isso odeio todo caminho falso” – Salmo 119.103, 104

Compreendendo que os caminhos maus deturpam sua compreensão da realidade e ofuscam sua vista impedindo-o de ver o que é bom e agradável, o salmista declara não apenas que os rejeita, mas também que ativamente odeia todo caminho falso.

Tendo experimentado da Palavra e seu coração sendo iluminado por ela, o salmista não deseja permanecer na escravidão da iniquidade, na ignorância do pecado. O salmista reconhece que é ela que lhe concede o discernimento necessário para compreender e reagir às circunstâncias da vida de forma santa e justa, por isso anseia de todo o coração permanecer em seus preceitos.

Por mais agradável que possa parecer aos olhos, o caminho falso ao final da jornada se tornará amargo, pois termina em uma eternidade sem Deus, entretanto, por mais que a obediência à Palavra possa deixar a vida do fiel mais árdua, ao final, haverá plena e completa alegria.

E é a certeza de uma eternidade plena em Deus que torna os mandamentos do Senhor doces ao coração e o caminho em obediência agradável, mesmo que a circunstância seja desfavorável.

Deus lhe abençoe.