“Sou teu; salva-me, pois tenho buscado tuas ordens. Embora os perversos fiquem à espreita para me matar, meditarei em teus preceitos” – Salmo 119:94, 95

Mesmo diante da morte e da possibilidade de perseguição em virtude de sua obediência à Palavra o salmista não se intimida, seu coração não se atemoriza com os planos dos perversos, mas se mantém centrado na Palavra.

O fundamento da tranquilidade do salmista está em sua fé no cuidado do Pai. Ele sabe que sua vida pertence a Deus e que indiferente do que os homens cruéis planejem, nada lhe acontecerá se não for da vontade do Pai.

Assim como o salmista se mantém em reflexão e meditação na palavra mesmo diante dos laços que são colocados diante de seus pés, o cristão pode não apenas confiar, mas também descansar na certeza de que sua vida pertence a Deus e que nada foge de Seu soberano propósito.

Os planos dos homens iníquos não terão resultado se Deus não permitir e, mesmo que permita, ainda assim todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam ao Senhor.

Conscientes da soberania divina podemos, assim como o salmista, manter nossas mentes e corações centrados na Palavra, pois indiferente do que desejam os perversos, o Senhor está conosco.

Deus lhe abençoe.