"A minha alma está pegada ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra" – Salmo 119.25

Durante a caminhada haverá momentos em que a alma do crente irá se desfalecer, se angustiar terrivelmente e se curvar ao pó.

Embora ciente de que durante as constantes lutas o Senhor jamais desampara os Seus, o emocional humano não é inabalável, sentimentos e pensamentos adversos irão se abater contra o cristão.

Contudo, mesmo nas noites mais escuras e nos dias mais frios da alma, podemos confiar que o Senhor, através de Sua Santa Palavra, trará a vida e alegria ao coração.

As tempestades que se abatem contra o peregrino em sua caminhada não é um indicativo do fim ou da ausência e distância de Deus, mas um alerta constante à sua mente de que, diante das adversidades, ele é extremamente frágil e dependente do Senhor.

Para o peregrino que caminha em terra estranha não há outra fonte que possa suprir as necessidades de seu coração contrito, o mundo que o cerca não lhe fornecerá nenhum alívio para suas angústias, a terra onde ele caminha não lhe trará nenhum refrigério à sua alma ressecada pelas lutas.

Somente na Palavra de Deus o peregrino encontra as fontes de águas que seu coração tanto deseja, dela brotam rios que refrescam a alma e aliviam as dores provocadas pela dura e extenuante caminhada em um mundo afastado do Pai.

Que Deus lhe abençoe.