Devocional #16 - Desvende meus olhos

“Faze bem ao teu servo, para que viva e observe a tua palavra. Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei” – Salmo 119.17-18

“Faze bem ao teu servo, para que viva e observe a tua palavra. Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei” – Salmo 119.17-18

Os dons e as dádivas concedidas pelo Pai não possuem outro propósito senão conduzir o crente à obediência e amor aos preceitos bíblicos.

A consciência de que nada do que possuímos é nosso, mas de Deus, nos leva a experimentar o amor paterno insondável do Senhor e nos conduz ao caminho da obediência e zelo pelos Seus estatutos.

De forma consciente o salmista clama para que Deus abra seus olhos, retire de sua visão todo bloqueio que impede de ver as maravilhas do Senhor e de admirar os Seus estatutos.

O crente, por sua vez, deve clamar o mesmo, o homem moderno não está livre da cegueira espiritual, pelo contrário. Assim como o salmista você e eu devemos diariamente rogar ao Senhor para que Ele clareie nossa vista.

O maior perigo que sonda o homem é a cegueira espiritual, ela se inicia com um pequeno ponto disforme no canto da vista e, aos poucos, avança lenta e sistematicamente até que, por fim, encobre tudo, transformando a Lei de Deus, antes admirável e amável, em algo odioso, terrível.

Sem o agir cotidiano do Espírito Santo em nossas vidas, corremos o sério risco de nos cegar com as maravilhas do mundo moderno, com a desnecessidade de Deus frente aos avanços da ciência, o materialismo galopante e uma vida terrena agradável e tranquila.

Sim, sem Deus e sem o auxílio dEle você jamais amará a verdade e jamais se importará com o que é eterno, por isso, tal como o salmista rogue para que seus olhos não se obscureçam.

Que Deus lhe abençoe.

Deixe um comentário

Assine o Novas de Cada Manhã

Não perca nenhum conteúdo. Inscreva-se para ter acesso à biblioteca de conteúdos exclusivos para membros.
[email protected]
Inscreva-se