"Sou tomado de indignação, pois meus inimigos desprezam tuas palavras" – Salmos 119.139

O salmista não se indigna pela perseguição que sofre de seus inimigos, pelas afrontas ou pelas injustiças, sua preocupação e mente não estão depositadas nas circunstâncias passageiras.

Sabendo que dela provém as orientações para uma vida plena em Deus, seu coração não consegue se tranquilizar diante do desprezo e desconsideração dos homens pela Palavra.

Não é a sua própria honra que está em questão, mas a honra do Nome de Deus, a honra de Sua santa palavra. Quando os homens afrontam sua fé, questionam a esperança que há em seu coração, não estão atacando diretamente o crente, mas o Deus que nele habita.

Nossa desaprovação ao pecado e à iniquidade não deve ser motivada pelo desejo de manter nossa honra pessoal, nossa integridade e nosso ego. Não fomos chamados por Cristo para seguir a nossa própria vontade e militar por nós mesmos.

Deus é justo e os seus estatutos são confiáveis (v. 138), portanto, Ele e não nós, é digno de toda honra e glória. Devemos nos indignar com o pecado e o desprezo pelos mandamentos, mas sempre com essa realidade em mente, caso contrário, jamais seremos instrumentos de graça na vida daquele que necessita da salvação em Cristo.

Deus lhe abençoe.