"Tua promessa foi plenamente comprovada; por isso este teu servo tanto a ama. Sou insignificante e desprezado, mas não me esqueço de tuas ordens" – Salmos 119:140,141

Diante da veracidade e infalibilidade das Escrituras o salmista não encontra outro caminho a não ser a resposta de obediência e amor à Palavra. Iluminado pelo Santo Espírito ele reconhece a perfeição da Lei de Deus e sua eterna inspiração.

Olhando para a grandiosidade das Escrituras, o salmista então volta para si mesmo e reconhece que é insignificante e desprezado pelos homens. No entanto, sua fé e obediência não dependem de seu status ou reconhecimento mundano.

Ele não responde em obediência à Palavra por ser reconhecido ou por ser respeitável, os méritos da obediência não partem dele, mas da própria Escritura que é eternamente pura e cristalina.

Não devemos obedecer aos mandamentos do Senhor somente quando Ele nos abençoa, quando somos relevantes neste mundo ou quando tudo está indo bem. Nossa obediência não deve estar firmada em circunstâncias passageiras e terrenas, mas na convicção de que Deus é Santo e pela Palavra nos deixou registrado o caminho para a santidade.

O salmista reconhece sua insignificância, mas sabendo que é necessário que Deus seja glorificado e que ele diminua, seu coração se inclina em gratidão pela oportunidade de obedecer aos mandamentos do Senhor.

Que Deus abençoe seu dia.