“Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente” – Salmos 119:8

O salmista encerra o primeiro bloco de oito versículos reafirmando seu compromisso com a Palavra.

“Observarei os teus estatutos”. E clamando pelo auxílio do Senhor.

Mesmo sabendo que é falho e pecador o crente pode expressar ao Senhor seu intenso desejo de não abandoná-lo. Da mesma maneira que um filho promete ao pai não o desagradar, o crente em seu relacionamento com Deus possuí a liberdade para fazer o mesmo.

Isso porque a nossa salvação e a nossa justificação não estão sob nossos ombros, mas sobre os ombros de Cristo e, portanto, podemos confiar que, mesmo que caiamos, Cristo nos levantará.

Não há maior expressão de amor do que a declaração de fidelidade de um filho aos mandamentos do Pai. Mesmo que isso signifique suprimir as próprias vontades em prol da Vontade Soberana de Deus.

E, diante desta expressão e desejo de permanecer diante dEle, o filho pode ter a plena convicção de que seu Pai lhe retribuirá não em bens ou em coisas palpáveis, mas com Sua própria Presença graciosa e com sua mão protetora.

O filho jamais será desamparado nos braços do Pai que o acolhe por seu desejo em amá-lo e obedecê-lo.

Deus lhe abençoe.