"Que eu seja inculpável na obediência a teus decretos; então jamais serei envergonhado" – Salmo 119.80

De todo o coração o salmista expressa seu desejo de permanecer íntegro em obediência aos mandamentos de Deus. Seu coração se angustia com a possibilidade de suas ações serem contrárias aos preceitos divinos.

Alguém, no entanto, poderia argumentar que a preocupação do salmista seja em não ser envergonhado diante dos homens, em manter sua honra pessoal, sua dignidade e não, necessariamente, sua fidelidade com Deus.

Porém há vergonha maior do que se apresentar diante de Deus no último dia e ouvir de Sua boca "Nunca os conheci. Afastem-se de mim, vocês que desobedecem à lei!"? (Mateus 7.23)

Tal como o salmista, o cristão é diariamente confrontado pelo Espírito Santo para que reveja seus caminhos e examine seu coração.

O constante estado de alerta, a consciência do perigo da queda e o desejo de agradar a Deus são os pilares necessários para uma vida que olha para além do horizonte desta existência. Remova um deles e a vergonha eterna parecerá não tão séria assim.

Deus lhe abençoe.