Devocional #45 - Venha o teu Reino

“Vocês, orem assim [...] Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu” — Mateus 6:9, 10

Na mesma medida que o cristão é chamado por Jesus para glorificar o Nome do Senhor através de sua vida cotidiana, também é ensinado pelo Mestre a desejar a manifestação do Reino e vontade de Deus na terra.

Embora os princípios morais e espirituais do Reino já acompanhassem os homens piedosos deste o Antigo Testamento, é em Cristo que Sua maior manifestação ocorre, diversas vezes lemos Jesus declarando que o “Reino havia chegado”.

No entanto, ainda que possamos desfrutar do Reino de Deus hoje, vivemos entre o agora e o ainda não. Estamos no Reino, mas não em sua plenitude, vivemos nele, mas não plenamente.

O anseio pela manifestação do Reino de Deus e pelo cumprimento de Sua vontade na terra aponta não apenas para a realidade presente, mas também para o cumprimento escatológico.

Na medida que santificamos o Nome de Deus e clamamos pela manifestação do Reino conformamos nossa vida à vontade soberana do Senhor, reconhecemos que ainda há questões não resolvidas em nós e em nosso mundo e, portanto, precisamos que Ele ativamente interfira em nosso ser.

O propósito de todo conhecimento teológico e de toda busca por sabedoria deve convergir para este objetivo: a manifestação do Reino e o cumprimento da vontade divina em nossa vida.

Essas “[...] petições, embora se concentrem no nome de Deus, no reino de Deus e na vontade de Deus, são, no entanto, orações para que ele possa agir de tal forma que seu povo santifique seu nome, se submeta ao seu reinado e faça sua vontade. Portanto, é impossível fazer esta oração com sinceridade sem se comprometer humildemente com tal conduta” (CARSON, 1984).

Devemos não apenas desejar e rogar pelo cumprimento escatológico da promessa divina, pela manifestação do Reino Eterno rasgando os céus de nossa existência, mas, na mesma proporção, somos chamados por Cristo para nos submeter à vontade soberana de Deus enquanto manifestamos os princípios morais, éticos e espirituais do Reino hoje.

Este é o propósito final de Deus para mim e você. Deus não está interessado em construir o seu ou o meu nome, em atender nossas vontades que, na grande maioria das vezes, estão distorcidas pelo pecado.

O objetivo dEle é que a Sua própria vontade seja feita em nós, pois à medida que nos aproximamos de Sua Pessoa, nos tornamos semelhantes a Ele, alcançamos a perfeição cristã e nos livramos das amarras impostas pelo pecado, pelo mundo e por nossa própria vontade.

Que Deus lhe abençoe.


Bibliografia citada

CARSON, D. A. Matthew. In: CARSON, D. A.; WESSEL, W. W.; LIEFELD, W. L. The Expositor’s Bible Commentary: Matthew, Mark, Luke. Michigan: Zondervan, v. 8, 1984.

Deixe um comentário

Assine o Novas de Cada Manhã

Não perca nenhum conteúdo. Inscreva-se para ter acesso à biblioteca de conteúdos exclusivos para membros.
[email protected]
Inscreva-se